segunda-feira, 14 de maio de 2012

Solar da Lapa, São Pedro do Sul










Escudo oval sob elmo e timbre de Oliveiras.
Esquartelado: I - Oliveira. II - Figueiredo. III - Almeida. IV - Ferreira.

Armas atribuídas, em 04.04.1821, ao Desembargador Luís de Oliveira Figueiredo e Almeida

7 comentários:

  1. Alguém me pode dar mais informações sobre esta casa? Penso que seja a casa da minha família, já que este é o Brasão da minha mãe.

    ResponderEliminar
  2. Esta casa é o Solar da Lapa e não a casa da Lage.

    ResponderEliminar
  3. Agradeço a informação, já emendei o erro. Obrigado.

    ResponderEliminar
  4. O brasão que se vê sobre o portão / arco de acesso ao páteo corresponde às armas atribuídas, em 04.04.1821, ao Desembargador Luís de Oliveira Figueiredo e Almeida. I - Oliveira, II - Figueiredo, III - Almeida e IV - Ferreira (v. Nuno Borrego, Cartas de Brasão de Armas, vol. I, pp. 292-293).

    A pedra d’armas não pertenceu aos Condes da Lapa nem aos antecessores que estiveram na posse do edifício.
    O Desembargador Luís de Oliveira de Figueiredo e Almeida, creio, nada tinha de familiar com os antigos proprietários, devendo ter entrado na posse do Solar da Lapa cerca de 1826, por compra.
    A sua geração desconheço, porém, a geração das irmãs vai dar depois nos Correia de Oliveira e entroncar nos Rebelo Homem de Almeida de S.Pedro do Sul.

    O edifício é setecentista, mandado construir por Nuno Leitão Pereira de Almeida, nascido por volta de 1650, Senhor do Morgado do Tojal, Cavaleiro da Ordem de Cristo. Meu 8º avô.
    Teve três filhas:

    A primeira filha Joana Clara Leitão Pereira de Vasconcelos casou com Brás de Almeida e Vasconcelos, 11º senhor de Mossâmedes, nascidos cerca de 1680,sendo este bisavô de José de Almeida e Vasconcelos (1737-1812), 1º barão de Mossâmedes, 1º visconde da Lapa, sendo este por sua vez pai de Manuel de Almeida e Vasconcelos (1784-1832) 1º conde da Lapa, que deu o nome á casa.

    A segunda filha Clara Teresa de Almeida Leitão (1696-1746) casou com Diogo Francisco de Almeida de Azevedo e Vasconcelos (1702-1786), que foi quem mandou construir o edifício conhecido hoje em S.Pedro do Sul como o Palácio do Marquês de Reriz. Foram meus 7º avós.

    O ramo dos Senhores de Mossâmedes / Condes da Lapa, uma das casas senhoriais mais influentes na região de Lafões desde a idade média, foi-se progressivamente radicando na região de Lisboa nos finais do século 18. Em 1794 o 1.º barão de Mossâmedes, 1.º visconde da Lapa José de Almeida e Vasconcelos adquire uma propriedade em Carcavelos ainda hoje conhecida por 'Quinta do Barão' passando a ser esta a sua casa principal. É aí que nasce por essa época e começa a ter fama nos mercados mundiais o vinho de Carcavelos.
    Terá sido o seu filho, de seu nome Manuel de Almeida e Vasconcelos Soveral de Carvalho da Maia Soares de Albergaria, 1.º Conde da Lapa, 2.º Viscondes da Lapa, 3.º Barão de Mossâmedes,15º Senhor de Mossâmedes, Diplomata, Enviado Extraordinário e Ministro Plenipotenciário em S. Petersburgo (1818); Vedor da Casa Real; Comendador de Santa Maria de Manteigas; Cavaleiro da Ordem de Malta; Membro do Conselho Ultramarino; Sócio da Academia Real das Ciências de Lisboa; Par do Reino (1826); Senhor da Quinta do Barão ou Quinta da Lapa, em Carcavelos; Senhor do Solar dos Soverais, em Sernancelhe, quem vendeu o Solar dos Condes da Lapa em S.Pedro Sul, por volta do ano de 1826.

    Diogo A. Vasconcelos



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caros este brasão e da minha família Homem de Almeida do Porto. Temos a carta de brasao e o anel que o meu bisavo usava.
      http://geneall.net/pt/nome/649373/joaquim-pinto-leite-homem-de-almeida/

      Como esta o solar em termos de estado de conservacao?

      Obrigado

      Eliminar
  5. Caro Diogo Vasconcelos, muito obrigado pelas preciosas informações. Bem haja.

    ResponderEliminar
  6. O bem haja cabe, antes de mais ninguém, a si Manual Ferros.
    Pelo excelente e meritório trabalho que tem feito na preservação da nossa memória colectiva.

    Quem não sabe de onde veio, tem sempre muita dificuldade em saber para onde vai.
    ...coisa que infelizmente, nos tempos que correm, podemos comprovar com abundância :)

    ResponderEliminar