quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Sêlo de chapa com as armas de Ascenso de Sequeira Freire

Escudo sob coronel de nobreza e timbre de Sequeiras.
Partido de: I - Sequeira. II - Sousa do Prado.

Ascenso de Sequeira Freire, do Conselho de S.A.R., comendador na Ordem de Cristo, Governador e Capitão General das ilhas da Madeira e Porto Santo. (Doc. de 19-02-1804)

Sêlo de chapa com as armas de Aniceto Simão Borges

Armas de Borges sobre troféus militares.

Aniceto Simão Borges, Cavaleiro professo na Ordem de São Bento de Avis, coronel do Regimento de Infantaria nº3, da Divisão do Norte. (Doc. de 19-02-1804).

Sêlo de chapa com as armas de Joam de Guildmeister

Armas de Joam de Guildmeister.

 Cônsul Geral pelos muito altos e poderosos senhores Estados Gerais das Províncias Unidas nestes Reinos e senhorios de Portugal. (Doc. de 16 de Janeiro de 1749).

Sêlo de chapa com as armas de Francisco José Gattinara de Miranda

Armas de Gattinari (Itália)
Listel com a legenda: VINCENDUM AUT MORIENDUM

José Gattinara de Miranda, Cavaleiro professo na Ordem Militar de São Bento de Avis, Coronel do Regimento da Praça de Setúbal. (Doc. de 13-05-1802).

Sêlo de lacre com as armas dos primeiros marqueses de Pombal

Cartela com dois escudos sob coronel de marquês.
Escudo 1 - Armas de Carvalho.
Escudo 2 - Armas de Daun (da condessa de Daun)

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Sêlo de lacre e sêlo branco com as armas do marquês de Faial


Escudo sob coronel de marquês
Armas de Sousas de Arronches 
Sobre-o-todo: Azevedo.
 D. Domingos de Sousa Holstein marquês do Faial 
(2º duque de Palmela, conde do Calhariz) (Doc de 7-01-1842)


Dois escudos sob coronel de marquês.
Escudo 1 - Armas de Sousas de Arronches
Do Iº Marquês do Faial
Escudo 2 - Esquartelado de: I - Teixeira. II - Sampaio. III - Amaral. IV - Guedes.
De Maria Luísa Noronha e Sampaio, mulher do Iº marquês do Faial.
(Doc. de 14-10-1848)

Sêlo de lacre com as armas do visconde de Canelas.

Escudo sob elmo e timbre?
Esquartelado: I - Silveira. II - Fonseca. III - Pinto. IV - Teixeira.

António da Silveira Pinto da Fonseca Teixeira Coelho, visconde de Canelas, comendador na Ordem de Cristo, Grã-Cruz na Real e distinguida Ordem de Carlos IIIº, condecorado com a medalha da heróica Fidelidade Transmontana e Brigadeiro nos Reais Exércitos. (Doc. de 04-10-1828)

Sêlo de lacre com as armas de Nicolau Joaquim de Caria (Post número 1000!)

Escudo sob elmo e timbre de Cari (Carry)
Partido: I - Cari (Carry). II - Figueiredo?

Nicolau Joaquim de Caria, Cavaleiro professo na Ordem Militar de São Bento de Avis e coronel do Regimento de Infantaria de Viana. (Doc. de 27-04-1802)

Sêlo de lacre com as armas do 3º marquês de Alorna.

Escudo sob coronel de marquês.
Esquartelado: I e IV - Almeida. II e III - Bragança. (Portugal)

De D. Pedro de Almeida Portugal, Conde de Assumar, Marquês de Alorna, do Conselho de Sua Alteza Real, Vedor da Casa Real, Comendador da Ordem de Cristo, Marechal de Campo de Exércitos de S.A.R., Chefe da Legião de Tropas Ligeiras. (Doc. de 24-01-1804).

Sêlo de lacre com as armas do marquês de Alegrete

Dois escudos ovais sob coronel de marquês e timbre de?
Escudo 1 - Esquartelado de  I e IV -Menezes de Tarouca e II e III - ?. Sobre-o-todo - Menezes.
Escudo 2 - Teles de Menezes .

Luís Teles da Silva, Marquês de Alegrete, do Conselho do Príncipe Regente, Comendador da Ordem de Cristo e Coronel do 1º Regimento de Infantaria de Linha da Divisão do Centro. (Doc. de 3-08-1806)

Sêlo de lacre com as armas de José Maria de Aguiar

Escudo sob elmo e timbre de ?
Partido: I - Aguiar. II - Medeiros? Madeira?

José Maria Aguiar, cavaleiro na Ordem de São Bento de Avis, Brigadeiro dos Reais Exércitos do Príncipe Regente e Chefe do Regimento de Infantaria da Praça de Castelo de Vide. (Doc. de 08-1802).

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Sêlo de lacre com as armas de José Basílio Rademaker



  • Diplomata
  • Cavaleiro da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa (7.1.1823)
  • Comendador da Ordem de Cristo (1822)
  • Do Conselho de S.M.F. (1824)                                                         (Geneall.pt)

Sêlo de lacre com as armas de Franisco Xavier da Maia

Escudo sob elmo e timbre de Vieiras.
Esquartelado: I - Vieira (e diferença, uma brica carregada de um "F"). II - Maia. III - Oliveira. IV - Fonseca.
CBA de 17-06-1768 em nome de Francisco Xavier da Maia, Cavaleiro Fidalgo da Casa Real, professo na Ordem de Cristo, Tenente de Cavalaria de Alcântara, proprietário dos ofícios de Juiz da Alfândega-mor, e Reais Direitos da Ilha de São Miguel, natural da vila de Sintra.
(AHG 891).

Estas armas aparecem duas vezes num documento de 8-06-1832, assinado por Henrique da Fonseca Sousa Prego, do Conselho de Sua Majestade, Fidalgo da sua Real Casa, Comendador das Ordens de S. Bento de Avis, Torre-Espada, Imperial de S. Leopoldo da Áustria e Vice-Almirante da Armada Real.

Sêlo de lacre com as armas de Gomes Freire de Andrade

Armas de Freires de Andrade com bordadura com a legenda:
AVI MARIA GRATA PLENA (sic)
Pendente a insígnia de cavaleiro da Ordem de São Jorge do Império da Rússia

Gomes Freire de Andrade, comendador da Ordem de Cristo, cavaleiro da de São Jorge no Império da Rússia, Marechal de Campo dos Exércitos do Príncipe Regente Nosso Senhor e Chefe do Regimento nº 4 de Infantaria de Linha. (Documento assinado em Quartel na Praça de Cascais a 17-04-1807).

Sêlo de lacre com as armas do visconde de Peso da Régua.

Armas de Teixeiras sob coronel de visconde(?)

Armas de Gaspar Teixeira de Magalhães e Lacerda, visconde do Peso da Régua, do Conselho de Sua Majestade, e do de Guerra, Moço Fidalgo com exercício, Comendador da Ordem de Cristo, condecorado com a Medalha da Heróica Fidelidade Transmontana, e com a Cruz nº 3 da Guerra Peninsular, Tenente dos Reais Exércitos, e Comandante do Corpo de Exército de Operações contra os rebeldes. (Doc. de 05-10-1832).

Sêlo de lacre com as armas dos duques de Palmela.

Armas de Sousas de Arronches sob coronel de duque.

Dos duques de Palmela
(Doc. de 12-02-1847)

Sêlo de lacre com as armas de Abraham Hysterman


Armas de Abraham Hysterman, Cônsul pellos muyto altos e poderozos senhores Estados Gerais das Províncias unidas nestes Reinos e Senhorios de Portugal por confirmação de Sua Magestade que Deus guarde. (16-08-1724)

Sêlo de lacre com as armas de António Bernardo Real da Fonseca

Armas de Fonsecas.

De António Bernardo Real da Fonseca, Coronel de Cavalaria dos Reais Exércitos, Tenente Rei e Inspector das obras da Fortificação da Praça de Almeida (03-08-1802).

Janela manuelina em Santiago, Armamar.




Janela manuelina de arco contracurvado.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Igreja Matriz de Melo, Gouveia



 "ESTA ObRA
FOI FEITA N
A ERA 1668
NESTE ANO
SE FIXHER
AO AS PAZES"

Armas de Melos.

Fonte dos Melos em Melo, Gouveia.


Armas de Melos

Pelourinho e antiga casa da câmara de Melo, Gouveia.


Armas do reino

 Armas do antigo concelho de Melo
" + S DO CONCELLHO DE MERLLO"

Armas da freguesia de Melo

Paço de Melo (Edit 18-11-2016)




Armas Plenas de Melo sobre o pórtico da casa
 

 Num cunhal da capela
Escudo esquartelado I - Melo. II - Freire. III - Machado. IV - Oliveira.

Escudo sob timbre de Sousas de Arronches
Esquartelado: I - Sousa de Arronches (dimidiado). II - Lacerda (mal representado). III - Tavares. IV - Melo.
(Leitura de Sérgio Avelar Duarte)

  Esta pedra de armas poderá ter sido ali colocada durante a segunda metade do Séc. XVIII, devido à questão que se deu na sucessão do Paço de Melo quando, em Agosto de 1770, os sucessores legítimos na Casa dos Donatários de Melo, Estêvão Soares de Melo e sua irmã Dona Teresa de Melo, se vêm desnaturalizados de sua família e bens, por ordem do rei D. José I, que passou todo o domínio e posse destes bens ao imediato sucessor, Henrique de Melo de Sousa e Lacerda

Segue-se o documento de desnaturalização:






Esta situação manteve-se por cerca de sete anos. Em 1777 a Rainha D. Maria I revogou esta desnaturalização e os bens de Melo voltaram a Estêvão Soares de Melo e à sua irmã D. Teresa de Melo, conforme o alvará que se segue.





Cronologia

Séc. 13 - concessão da povoação a D. Mem Soares, no reinado de D. Afonso II, cavaleiro que aí edificou o seu Paço, já no reinado de D. Afonso III; seu neto D. Mem Soares de Melo foi Senhor de Melo e alferes-mor de Afonso III; as Inquirições de D. Dinis referem o lugar de "Merloa", que teria sido povoado por Gonçalo de Sousa, prior de Folgosinho, no reinado de D. Afonso II, referindo ainda que a povoação pertencia a fidalgos, à Sé de Coimbra e aos lavradores; na Crónica dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho, refere-se que D. Mem Soares d'Alvim teria sido o primeiro a tomar o apelido de Melo, sendo casado com D. Teresa Afonso Gata que herdou de seu tio, D. Gonçalo de Sá, o senhorio de Melo. Séc. 15 - foi elevada a vila por D. Afonso V, por iniciativa de D. Martim Afonso de Melo, senhor de Seia, Gouveia, Linhares e Celorico, neto de D. Mem Soares de Melo. Séc. 17 / 18 - edificação da capela por iniciativa de Manuel de Oliveira Freire, casado com D. Antónia de Melo, filha de Estevão Soares de Melo, 10º Senhor de Melo; reconstrução ou ampliação do Paço por iniciativa dos Senhores de Melo. Integrava ainda outra capela no interior do edifício; 1822, 19 Abril - faleceu na casa D. José António Pinto de Mendonça Arrais, bispo da Guarda, que aqui habitou nos últimos anos da sua existência; Séc. 20, 2ª metade: colocação de painel azulejar no frontão da capela.

Características Particulares

Conjugação de elementos típicos de várias épocas cronológicas, como os merlões que coroam o muro da cerca, com perfil de voluta, sem significativa expressão estilística. Integração de elementos da arquitectura popular. Acesso ao 2º piso através de lanço de escadas formando balcão. Por baixo da torre sineira tinha uma capela dedicada à Nossa Senhora da Paz.

domingo, 13 de novembro de 2016

Igreja de Nossa Senhora do Ó, Matriz de Ançã.



 No início das escadas que dão acesso à igreja
Ver imagem em cima
Armas de Castros 
(sob coronel de marquês?)

 Escudo sob elmo, adornado de paquife.
Partido: I - Costa. II - Cerveira.
Diferença no primeiro partido.
 
 Escudo sob elmo e timbre de Machados (mutilado), adornado de paquife.
Partido: I - Machado. II - Carvalho.

Escudo sobre manto, com elmo, timbre de Bacelares? e paquife.
Esquartelado: I e IV - Bacelar? II - Barbosa. III - Novais?